sexta-feira, 27 de setembro de 2013

557 M 27 09 2013 about what seems to be a trap or worst concerning this attempt of murder



the explanation of this line will be developed on next video, if one, which means that indeed this is again part of an ( am) inducted lecture organized namely display today here in this neighborhood, the "doctor sub line" on these last sequence of analyse 

detail on the page on notes (detail)

two scans on the document that will be sent to Curia today by register mail with a demand of invoice reception, that correspond to the two anterior posts




quinta-feira, 26 de setembro de 2013

letter of 26 09 2013 to Curia, that will be sent tomorrow by poste

Cúria
Tribunal Geral da União Europeia
Rue do Fort Niedergrunewald
L-2925 Luxembourg
Ao Senhor E. Coulon
Secretário
Assunto: relativo ao processo T-353/13 AJ.
Exmo. Senhor

Acuso a recepção das vossas, ou aparentes vossas, últimas cartas registadas relativas ao processo supra mencionado, referência, registo de envio 575868 do dia 08 07 2013, onde na sua qualidade de secretário do Tribunal Geral, me informa da recepção, atribuição de número de registo, 575836 e número do processo T-353/13 AJ relativo ao pedido de apoio judiciário por mim apresentado em mão nos serviços Greffe.

E a carta referência, registo de envio 582283 do dia 11 09 2013 onde me informa que o processo foi atribuído ao presidente do Tribunal Geral, e cujo conteúdo se refere a dois despachos sobre o pedido de apoio judiciário, versão confidencial com o número de registo 582281 e versão pública com o número de registo 582282, informando ainda que este despacho não é susceptível de recurso, e onde pelo meu entendimento, em sua essência corresponde ao indeferimento do pedido de apoio judiciário relativo a este processo, T-353/13 AJ.

Atendendo aos argumentos apresentados que sustentam estes despachos e especificamente dois dos considerandos que passo a citar “ considerando o pedido de apoio judiciário apresentado na Secretaria do Tribunal Geral em 8 de Julho de 2013” e “ considerando a acção para a qual foi solicitado apoio judiciário, como descrito no formulário de pedido de apoio judiciário”, afigura-se-me uma dúvida para a qual solicito informação e confirmação complementar.

Pois a formulação específica do segundo considerando, descrita no parágrafo anterior, me leva a perguntar se as cartas que anexei ao formulário de pedido de apoio judiciário apresentado na Secretaria do Tribunal Geral em 8 de Julho de 2013, transitaram igualmente para o presidente do Tribunal Geral e por ele foram tomadas em conta na elaboração destes despachos.

Para facilitar o cabal esclarecimento desta pertinente dúvida e questão, junto anexo e com esta carta será enviada, o meu documento, identificado com o título “ Digitalizações dos documentos enviados e recebidos até à data com a Cúria e outras entidades oficiais do Luxemburgo” com data de 25 09 2013, constituído por 57 páginas e 141 linhas, que é o resumo possível de todos os documentos que constam do meu arquivo actual referentes a estas matérias.

Chamando desde já a sua atenção para os seguintes aspectos.

No ponto 8 do documento mencionado no parágrafo anterior, páginas 36 a 50, com o subtítulo “Documentos do pedido de apoio judiciário apresentado presencialmente no Tribunal Criminal Europeu em 2013 sem as duas cartas que igualmente anexei presencialmente, ou seja, as que correspondem ao ponto 1 e 2 deste documento”, e especificamente no campo do formulário do tribunal com o subtítulo “ Descrever o objecto da acção que pretende propor, os factos em causa a argumentação em que se baseia a acção (ou recurso), e que é neste meu documento reproduzido na página 42, escrevi na altura e passo a transcrever “ver cartas em anexo e anteriormente enviadas”, tendo na altura do pedido igualmente como entregue em mão no dia 8 de Julho de 2013, cópias das duas primeiras cartas que enviei ao Tribunal em 2011, reproduzidas no meu documento anexo, respectivamente nas páginas 2ª a 5ª, que corresponde à primeira carta enviada, e páginas 11 a 17, que corresponde à segunda.

Pois como é entendível e verificável pelo conteúdo da minha segunda carta ao tribunal, depois de ter verificado nomeadamente através de contactos telefónicos com a Secretaria, a primeira carta de 2011 foi desviada, isto é, pelos factos que são do meu conhecimento não terá chegado ao tribunal, o que antes de mais é um crime, como também o expliquei, e sendo que a minha primeira carta, é na realidade, os argumentos principais que justificam o meu pedido da intervenção do tribunal.

Ou seja, a existência deste crime em 2011, me levanta a dúvida razoável se de novo um mesmo se terá passado agora em 2013, isto é, se os meus argumentos foram de facto tomados em linha de conta nesta decisão.

Chamo ainda a atenção para o que no documento agora enviado, chamei de notas, 1 a 3, na página 25 e 26, subponto 5º com o título “Registos de recepção da Cúria de duas cartas enviadas com datas de 2 09 2011 e 09 09 2011, pois nelas se poderá encontrar algumas explicações complementares.

De igual modo chamo a atenção para o facto de ter de novo aparecido num destes despachos do tribunal acima mencionados, o que tenho de considerar, uma espécie de espelho dos múltiplos espelhos que tem sido ao longo dos anos, processo comum e diário deste crime, relativo à queda das torres em NY, através de mais uma correspondência numérica, o que não me estranha, pois na realidade este crime é também um crime de conspiração mundial onde questões relativas a actos de terror, como este em particular, tem estado sempre presentes, muitas das vezes como motivações ou aparentes motivações e justificações de um conjunto vasto de crimes de outra natureza incluídos no crime contra a minha pessoa e meu filho, e muitos mais.

Informo ainda, que existe um vídeo por mim gravado com a referência 554 M 23 09 2013 onde sensivelmente a partir dos 7´23´´ mostro e comento estes últimos documentos recebidos do tribunal e cuja leitura poderá ser complementar ao esclarecimento destas questões. Este vídeo está publicado na minha página ourosobreazul.blogspot.pt provavelmente no dia mencionado na sua própria referência ou no dia seguinte, assim o explico, pois não trago acesso à internet e não posso confirmar em exactidão.

E ainda, que na página 26, linha 80, do meu documento anexado e enviado com esta minha carta, se encontra uma ratificação manuscrita e rubricada por mim com a data de hoje, onde acrescento, depois da vírgula a seguir “ razões desta natureza, a palavra “tenho”, seguindo-se a frase como ela se encontra escrita no documento.

Aproveito ainda esta carta para lhe pedir a confirmação sobre o envio de um outro documento que enviei ao tribunal em forma registada com aviso de recepção, no dia 09 09 2013, pois estranhamente não recebi ainda de volta o aviso de recepção. Anexo a esta carta o comprovativo do registo deste envio.

Na expectativa que estes dados agora enviados possam ajudar o tribunal a compreender os contornos e natureza que levanta esta minha dúvida e necessidade de esclarecimentos complementares, apresento-lhe os meus cumprimentos

Lisboa, 26 de Setembro de 2013

Paulo Forte

Anexo mencionado nesta carta


a








quarta-feira, 25 de setembro de 2013

555 M 24 09 2013



continuing this line of analyse and remembering some old acts of terror around the world . As you can understand, there is also a informatic crime that is refereed indirectly on the write text yesterday published, as by some of the my video links that are there, the ones directly connected with YouTube, prove that the videos concerning the prove( recorded telephonic conversations with the psychiatric hospital ) whore erased by probably them, just to mount again a action against me on this field, because as i also stated on my criminal complaint concerning the crime they have committed against me on May, i had ask to the court the immediate suspension of all kind of what may be considered as therapeutic treatment on this field, of course as also i had prove, i still do not have any answer from the court that is also implied on this crime   

Documents exchanged with The European Criminal Court and other official entities on Luxemburg



terça-feira, 24 de setembro de 2013

about the crime of complusive internment on the psichiatriac hospital

Aqui abaixo as duas hiperligações com os documentos integrais (em XPS) que enviei ao 5º Juízo, 2ª secção de Lisboa e ao Tribunal Criminal Europeu sobre o último crime e atentado contra a minha pessoa. Não consigo visualizar neste PC onde estou publicando os documentos em XPS, donde é possível que os criminosos os possam alterar ou ter alterado durante o upload. De todas as formas . As versões originais foram enviadas por correio como aqui mais uma vez se prova. Os documentos enviados por correio incluiram uma flash drive com todos os videos mencionados 

Este é um extracto da minha queixa-crime enviada à Juíza do 5º Juízo, 2ª secção, onde decorreu o processo do crime contra a minha pessoa de internamento compulsivo no hospital psiquiátrico no mês de Maio do corrente ano.

Como poderão verificar, no ponto 28, requeri entre outros pontos, a imediata suspensão de todo e qualquer processo terapêutico de natureza psiquiátrica.

O documento desta minha acusação foi enviado por correio registado com aviso de recepção no dia 11 09 2013 (vide prova do envio aqui publicada). Como declaro no último vídeo publicado até ao momento em ourosobreazul.blogspot.pt, não me chegou até ao dia de hoje, nenhum aviso dos CTT da sua recepção por parte do tribunal de Lisboa, o que pode entre outras possibilidades, configurar um dos constantes crimes ao longo destes anos contra mim e meu filho, o desvio da minha correspondência, ou pura e simplesmente a implicação do tribunal em mais este crime, como igualmente fiz prova nas minhas alegações enviadas.

Como podem verificar, insistem em forma criminosa os médicos envolvidos neste crime, a manutenção do que chamam de tratamento, que mais não é de que um crime, tendo eu aparentemente uma nova consulta marcada no hospital Júlio de Matos para o dia de amanhã, 25 09 2013, e todos os meus direitos me continuam como desde o roubo de meu filho e me serem negados. Vide estes curtos vídeos sobre os processos criminosos e descarados dos conspiradores no ou através do hospital Júlio de Matos.

http://ourosobreazul.blogspot.pt/2013/07/julio-de-matos-e-mais-um-crime.html

http://ourosobreazul.blogspot.pt/2013/06/325-m-20-26-2013-telephone-conversation.html

http://ourosobreazul.blogspot.pt/2013/07/532-m-sur-une-consultation-de.html 

http://www.youtube.com/watch?v=xx9HNiRnJrg

http://www.youtube.com/watch?v=xoUCbR-4s5M

http://ourosobreazul.blogspot.pt/2013/09/554-m-23-09-2013-new-development-about.html
Igualmente a queixa-crime, primeira parte, enviada à Procuradoria-Geral da República (vide prova aqui ) não teve até esta data nenhum desenvolvimento, nem recebi o comprovativo dos CTT da sua boa recepção.


E video com a prova do envio
 http://ourosobreazul.blogspot.pt/2013/06/prove-of-criminal-complaint-concerning.html

E o mesmo aconteceu em relação à queixa crime enviada à Curia, Tribunal Criminal Europeu no dia 09 11 2013 com registo e aviso de recepção 

Lisboa, 24 de Setembro de 2013
Paulo Forte

(Abaixo extracto das minhas alegações enviadas)

Alegações e caracterização do crime

28- Abaixo o documento com o título ”Alegações” sobre esta acusação relativa a este crime cometido contra a minha pessoa para permitir uma leitura mais abrangente deste crime, e requeiro ao tribunal a imediata suspensão de todo e qualquer processo terapêutico de natureza psiquiátrica, a reabertura do processo, e apresento queixa-crime contra todos os médicos envolvidos, por participação no crime de conspiracia que corre contra mim e meu filho desde 2004, por atentado contra a minha integridade, acto de tortura e por homicídio em forma tentada.

29- Requeiro ainda à Juíza do 5 juízo, 2ª secção que envie de imediato, cópia deste documento ao Conselho Superior de Magistratura, onde por lei são apreciados queixas contra eventuais má-práticas por parte de Juízes, organismo onde desde 2007 apresentei queixa contra a Juíza do Tribunal de Família e Menores de Lisboa, sem qualquer resposta até à data.

Do imediato envio ao Tribunal Criminal Europeu

30- Igualmente informo, que este documento será enviado para o Tribunal Criminal Europeu como parte integrante do processo que neste Tribunal apresentei contra o Estado Português, com a referência, T-353/13 AJ.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

MY ARGUMENTS CONCERNING THE CRIME OF COMPULSIVE INTERNMENT COMMITTED AGAINST ME




Some of the texts that are integrated  on this accusation document, namely the one about the lecture on the hospital, was revised and is now more completed.